06.01.2020

CNS colabora com Projeto Europeu

CNS COLABORA COM STARTUP PORTUGUESA EM PROJETO EUROPEU NA ÁREA DAS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

 

O Campus Neurológico Sénior (CNS), centro português especializado em doenças neurodegenerativas, está a participar desde o dia 1 de Janeiro num projeto na área da Saúde, financiado pela iniciativa Horizonte 2020, ao qual foram atribuídos 5,7 milhões de euros pela Comissão Europeia.

O projeto PROCareLife irá desenvolver um sistema tecnológico interativo para responder às necessidades de diferentes doenças crónicas, tanto ao nível das instituições de cuidados de saúde, como dos próprios utentes. Desta forma, contribuirá para uma melhoria no acompanhamento dos doentes e na comunicação entre profissionais de saúde, beneficiando a qualidade dos cuidados prestados.

Para Joaquim Ferreira, diretor clínico do CNS, “é premente encontrar soluções que tornem o acompanhamento das doenças neurodegenerativas e crónicas mais eficaz, tanto para os doentes, seus cuidadores e familiares, como para os profissionais de saúde. A solução que vai ser desenvolvida tem também em conta a melhoria da gestão de tempo por parte dos profissionais de saúde, que cada vez têm mais doentes ao seu cuidado e, muitas vezes, pouco tempo para os acompanhar com a eficácia e disponibilidade que gostariam.”

O projeto PROCareLife reúne um consórcio de 14 entidades, de seis países Europeus. Como líder do projeto, a Kinetikos, startup portuguesa na área da saúde digital, será o ponto de contacto e representante do Consórcio, bem como responsável pela gestão e monitorização do projeto.

Segundo Ricardo Matias, Fundador e Head of Research and Innovation da Kinetikos, “é para nós um honra liderar este projeto, que vai contribuir significativamente para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes. A solução que vamos desenvolver vai permitir um acompanhamento mais personalizado e interativo, de forma a melhorar as suas atividades diárias e fazer com que adotem hábitos mais saudáveis”. “O nosso objetivo é fazer com que os pacientes se sintam mais seguros e acompanhados, o que facilita o seguimento das ações prescritas pelos profissionais de saúde”, acrescenta.